quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Novas adições ao vestuário Tonner

Demorou, talvez até demais, mas finalmente recebi o pacote que a Gwen me enviou ainda em outubro do ano passado. Da mesma forma que havíamos feito anteriormente, encomendei um lote de três comissões. Confira ao final da postagem as fotografias originais.

Não acredito que exista melhor forma de honrar o décimo aniversário de Angel of Darkness do que um tributo excepcional, como somente a Gwen poderia fazer. Os acessórios são todos customizados, com especial destaque para os minuciosos detalhes nos coldres.

A segunda peça vem diretamente de Legend: a variante Union Jack. Embora não seja o meu traje favorito daquele jogo, é uma singela referência a terra natal de Croft, portanto achei que seria uma adição válida. (Os acessórios usados na foto, inclusive Excalibur, são originais da Tonner.)

Por fim, o terceiro e último é um traje "original" que há tempos eu gostaria de ver; na falta de um nome melhor, sempre usei Codename Progress. Após descartar o design inicial, fiz, à moda antiga, um esboço de uma alternativa. Gwen aprovou a ideia e o resultado final não poderia ter sido melhor. Ao longo do caminho solicitei shorts extras, brancos, embora ela já tivesse feito um azul marinho como no desenho original.

Ela também incluiu duas faixas, uma azul e uma amarela, para complementar o visual dos shorts. Quando vesti a figura e coloquei os coldres clássicos (de uma encomenda anterior), achei que poderia dispensar o uso da faixa. Ao mesmo tempo, cheguei a conclusão de que Lara precisa mais roupas brancas. Além dos coldres, as botas também pertencem à outra comissão anterior.

Quero deixar registrado aqui um muito obrigado à Gwen, pela paciência e parceria. Fico extremamente satisfeito e orgulhoso em adicionar customizações de tão alto nível à minha coleção.

Jornadas

Tomb Raider: Journeys foi uma minissérie composta por 12 edições, com um arco (deveras confuso) paralelo ao dos quadrinhos mensais. Curiosamente, chegou ao Brasil muitos anos mais tarde, publicada em quatro partes sob o título Busca ao Tesouro.

A história começa com Lara velejando, sozinha, para sua próxima expedição no Peru. Ao adentrar uma densa névoa, é abordada por um navio pirata – Revenge of the Bonny Raider – que parece ter saído diretamente do século XVI. Sem alternativa, Lara se une aos piratas do barco e encontram a embarcação Dora del Sol.

Num confronto de canhões, a Revenge perde. Eternamente. É a maldição do holandês voador: como morreram durante a busca, estão condenados a repetir o fracasso como fantasmas. Após voltar a si e ouvir que a Dora del Sol foi avistada, Lara, sabendo como as coisas se desnrolariam, elabora uma estratégia de emergência e o capitão, Kagan, lhe concede a captura do navio. Finalmente conseguindo cumprir seus destinos, a névoa se dissipa, assim como as embarcações. 

Tudo que resta é uma moeda que Kagan havia encontrado em El Dorado. O próximo alvo de Lara já está definido. Quando o mar a leva até a orla peruviana, ela é socorrida por um pescador. Após ver a moeda, ele se recusa a ajudar Lara – mas ela o convence que o tesouro poderia tirar seu vilarejo da miséria. Um menino, ouvindo a conversa, alega saber onde fica a cidade perdida.

Lara e o pescador entram na cidade, mas logo são seguidos por mercenários que querem saber do seu paradeiro. Dentro da fabulosa cidade, ela encontra dois medalhões de ouro, mas não toca um terceiro pois ele ativaria uma armadilha. Os mercenários, inconsequentes, decidem pegar o tal medalhão e causam a destruição da cidade. Lara deixa um dos medalhões para o pescador e parte.

Depois, na Mansão Croft, Lara está tendo aulas de arqueria e seu assistente traz dois visitantes: representantes de um grupo de arqueólogos que compra sítios para preservá-los, mas estão sem recursos. Lara, descartando a ideia de simplesmente jogar dinheiro na mão dos homens, é convencida a ajudar quando eles alegam ter encontrado as cidades de Sodoma e Gomorra.

Gomorra estaria prestes à ser vendida para um homem, um certo Kagan, que pretendia construir condomínios no local. Quaisquer conexões entre as duas cidades poderiam ser perdidas nessa empreitada. Lara invade os resquícios de Gomorra e encontra o Talismã do Deus Sol, reanimando todos os mortos do cidade. Ao ver o exército de esqueletos, Kagan cancela a compra e Lara reverte a maldição, retornado o artefato ao seu devido lugar. Kagan pede para seu assistente descobrir o que puder sobre Lara Croft; uma vez que seu real interesse na cidade era, de fato, encontrar o talismã. Ele também é adepto de arqueria. 

Uma semana mais tarde, em algum local na Argélia, Lara parte para escavar uma carruagem. Existem duas alternativas para chegar até o local: um campo minado ou um pântano. Lara, obviamente, vai pelo campo minado. No meio do percurso ela encontra um bode, perdido, e decide salvar o animal. É imediatamente alvejada pelos homens de Kagan, que a flanqueou pelo pântano.

Quando ela finalmente relembra de onde o conhece – do encontro a bordo da Revenge –, Lara desmaia. Os capangas de Kagan iniciam um motim, não mais respondendo ao homem. Forçados a escavarem juntos, eles encontram os vestígios de uma mulher junto à carruagem. Aproveitando a distração, eles atacam os motineiros e, quando Kagan experiencia um déjà vu, é a vez dele desmaiar. Quando acorda, ele e todos seus homens estão amarrados, sendo deixados para trás por Lara.

Em um reencontro da turma de 1992, um velho conhecido de Lara, agora ministro inglês, tem uma missão para Lara: recuperar uma lança, roubada do museu britânico há dois meses. Ele não sabe explicar a importância da lança, mas um fantasma anuncia se tratar de uma lança espiritual. 

O fantasma se revela ser Winston Churchill, vindo diretamente do inferno, com palavra de que a lança pode estar em algum lugar do submundo dos Maori, na Nova Zelândia. Entrar no submundo pode significar uma viagem sem volta, mas Lara aceita o desafio.

No meio do nada, na Austrália, em uma cidadela que sequer possui nome, Lara procura por um contato. Num duelo nos padrões de faroeste (novamente, aliás), ela vence o homem mas se recusa a matá-lo, pois havia jurado à um amigo, prestes à morrer, que jamais mataria outra pessoa. O homem então revela o local da tribo Maori e diz que Lara deve procurar por Akio.

De alguma forma, já no submundo Maori, está Kagan com a Lança dos Sonhos – o artefato neozelandês que Lara busca. De acordo com a tribo, a lança permite reviver os mortos e destrói o sutil equilíbrio entre o submundo dos sonhos e a realidade. Como não é nativa, para que Lara possa perâmbular pelo submundo, ela precisa de um moko.

A tribo recusa a participação de uma estranha nos rituais, mas Akio afirma que se ela vencer o melhor guerreiro da tribo, será digna de ser integrada à tribo. O guerreiro em questão é ele mesmo. Lara recusa a lutar até a morte, mas derrota Akio. Ele será seu guia no submundo, e explica que o moko representa a forma como os anciões vêem a pessoa: encruzilhadas da alma.

Dentro do submundo, Lara lembra o futuro. Aquilo que conquistou equivale à tudo que já perdeu? Não existia cansaço, fome ou dor, e o tempo fluia de forma diferente. Enquanto acampam, os dois ouvem um grupo se aproximar. Akio derruba todos, mas Lara reconhece o último: Myles, o amigo à quem tinha feito a promessa.

Desarmada, Akio orienta Lara a confiar na fé ao invés dos sentidos, e ela então encontra uma Espada Invisível. Nesse momento, Kagan encontra Lara e derruba Myles de um desfiladeiro. Akio conforta Lara, dizendo que ele não teria morrido com a queda pois, bem, ele já estava morto. 

Kagan e Lara são inimigos eternos, Lara sempre saindo vitoriosa com a morte ou apreensão de seu rival. Possuindo a Lança dos Sonhos, ele poderia mudar esse destino. Para sua infelicidade, Lara consegue derrotá-lo e devolve a lança para o maori. Akio rapidamente pensa em executar Kagan pelo roubo do artefato, mas Lara o impede. Ela captura o cidadão e fala que, desta vez, lhe concederá a escolha entre trabalhar para ela ou ser novamente preso.

Antes de sair do submundo, ela ouve ao último desejo de Myles. Meses mais tarde, Kagan, já estabelecido como subordinado de Lara (embora ainda não tenha conquistado sua confiança), encontra pistas de onde encontrar o assassino de Myles e finalmente vingar a morte do amigo de Lara.

Frente à frente com o assassino, ela relembra da promessa que havia feito. Hesitando, permite que um guarda-costas a desarme com um tiro no braço. A arma, entretanto, cai ao chão e uma manifestação supernatural do vestígio de moko que havia permanecido em sua pele dispara a arma, permitindo que Myles finalmente descanse em paz.

Lara sabia que, de alguma forma ou outra, Myles finalmente havia conseguido se vingar, sem força-lá a quebrar a promessa que havia feito. No cemitério, ela se despede uma última vez...

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Amostras da reestreia de Tomb Raider em HQ

O portal Comic Vine divulgou um pequeno aperitivo da reestreia de Tomb Raider em quadrinhos, desta vez publicados pela editora Dark Horse e diretamente ligados ao universo estabelecido pelo último jogo da franquia.

Eu estou quase no fim de minha maratona pelos quadrinhos da Top Cow, mas, de certa forma, estou satisfeito com o estilo mais limpo e nítido usado nessa nova série. Muitas das edições da Top Cow tinham traçados sensacionais, mas boa parte delas também se aproveitava de estilos menos favoráveis. E em pouquíssimas ocasiões a Lara parecia com a dos jogos – embora adequada à sua própria maneira –, então, nesse aspecto, acho que a Dark Horse já começa com um pequeno trunfo.

Pelas seis páginas divulgadas podemos ter uma breve noção de como eles abordarão a vida pós-Yamatai. Não consigo determinar quem poderia ser a "garota" que precisa ser salva (Sam? Talvez a própria Lara?), mas os textículos introdutórios das três primeiras edições sugerem que os sobreviventes estão sendo assombrados por visões...

Esperar para ver. Agora, falta pouco.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Coleção: Revistas oficiais da Titan Books

#1.1 #2.1 #3.1 #3.2 #4.1
#4.2 #5.1 #5.2 #6.1 #6.2
#7.1 #7.2 #8.1 #8.2 #9.1
Eu devo dizer que, de certa forma, me sinto enganado. No último lote de quadrinhos que encomendei, aproveitei a oportunidade e inclui uma cópia da edição #1 dessa série, sem saber o conteúdo da publicação. Pelo que já havia visto no eBay anteriormente, sabia que a série completa possuía 9 edições. Alguns dias depois, encontrei um lote com 17 edições, então, apesar de ainda me faltarem 3 capas, tenho ao menos uma cópia de cada edição.

Quando eu finalmente folheei a revista, tentava entender seu real propósito. A editora Titan Books é situada em Londres, e ao longo das nove edições que Tomb Raider: The Official Magazine durou, publicaram quadrinhos da Top Cow. A diferença mais notável é a dimensão da revista (23×30cm, ao invés do padrão americano de 17×26cm), mas isso não necessariamente se traduz em qualidade.

Aphrodite IX
Todas as páginas contam com margens em branco. Isso é o de menos: existe ao menos uma edição com falha de impressão (uma página com cores distorcidas e balões sem texto) e – ainda pior – em algumas edições as páginas simplesmente foram "esticadas" para caber no formato, resultando em imagens e textos terríveis. A cereja no bolo é a fraudulenta seção de cartas, ainda tento entender o porque se deram o trabalho de criá-la. 

Outra curiosidade inexplicável se dá pela inclusão de Aphrodite IX na publicação. Desde a primeira edição existia o anúncio de que ela estaria chegando, embora só tenha figurado entre as edições #5 e #8. Talvez, em algum momento, a Top Cow tenha considerado um crossover entre as duas garotas, mas nunca aconteceu. Neste caso, entretanto, suas histórias estão ali apenas para preencher espaço.

Todas as edições receberam duas capas, com uma boa variedade entre artes dos quadrinhos e dos jogos, e as histórias propriamente ditas também foram segregadas conforme disponibilidade de páginas. Para todos os efeitos, montei a listagem abaixo, indicando as histórias de cada edição.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Galeria e galeria de capas

Na verdade, até hesitei em criar esta postagem uma vez que não se tratam exatamente de histórias em quadrinhos, mas enfim, é meramente de caráter completivo. São duas edições especiais: The Tomb Raider Gallery traz uma série de artes de diversos artistas, alguns que inclusive sequer trabalharam com a franquia; ao passo que Tomb Raider: The Cover Gallery compila em suas páginas muitas das sensacionais artes usadas nas capas e variantes dos quadrinhos.

Não tenho muito o que falar, então vou apenas deixar a amostra abaixo, de autoria de Adam Hughes. Uma das minhas artes favoritas, sem dúvida, que ilustrou uma das capas da edição #33.

Esfera da Influência

Tomb Raider: Sphere of Influence é outra história curta e simples, e como um diferencial extra, a edição é toda em preto e branco. A propósito, eu havia postado informações incorretas anteriormente: é esta a história que foi republicada nas páginas de Witchblade/Vampirella/Magdalena and Tomb Raider

A história começa com Lara entrando no esgoto de Nova Iorque. O objeto que busca é o presente de uma menina, jogado lá em baixo por dois bullies. De volta à superfície, os garotos fogem e a menina diz que não precisa mais do presente – uma boneca de pano –, agora só deseja crescer e se tornar uma mulher linda e corajosa como Lara.

Mais tarde, Lara vai para um leilão. Em um dos lotes, uma estatueta de um guardião maia que ela mesma recuperou em Honduras – ela compra o artefato. Na saída, dois capangas de sua concorrente a abordam e ela os enfrenta no corpo-a-corpo. A estátua acaba se quebrando, mas a mulher explica porque precisa do artefato, ou melhor, da jóia que nele contida.

Quando Lara retirou o guardião do templo, local de descanso dos ancestrais da mulher, o guardião da família foi despertado com a alma da filha dela. A única chance de salvar a garota seria colocando a esfera de volta em seu devido lugar. Lara opta por ajudá-la, pensando nas possíveis consequências que suas incontáveis outras aventuras podem ter causado.

No templo, enquanto os dois guarda-costas distraem o guardião, Lara coloca a esfera no lugar sem surtir efeito. É quando ela percebe o que falta: um recipiente. Ela insere a esfera no corpo da boneca de pano, que ainda carregava em sua mochila, e reverte a maldição. 

A caminho de sua próxima aventura, ela pensa o quão irônico seria se a menina que recusou a boneca, de fato, se tornasse uma aventureira como ela e viesse a invadir este templo no futuro...

sábado, 25 de janeiro de 2014

Assalto

Tomb Raider: Takeover coloca Lara nos holofotes, literalmente. Em Los Angeles, ela decidiu entregar pessoalmente a Pedra de Delphi a um museu. Na última vez que havia sido vista, a relíquia havia saído de Atenas destinada ao museu em LA, mas foi interceptada e roubada no trajeto. Por outros motivos, Lara confrontou um grupo de bandidos em Veneza e encontrou a pedra.

O museu insistiu em fazer uma cerimônia, digna dos padrões da cidade, para recepcionar Lara e o artefato. Antes do evento iniciar, porém, um helicóptero pousa nas vicinidades e capangas armados descem. Lara reconhece o líder do grupo: Edgar Mast.

Os dois compartilham uma inimizade mútua. Alguns anos atrás, Edgar foi a mente por trás de um roubo à banco em Londres que resultou na morte de uma ex-colega de Lara. Ela assumiu o compromisso de vingar a morte da amiga e, na Veneza, frustrou os planos dele para um assalto ainda maior, mas não antes que ele conseguisse escapar.

Uma garçonete, aspirante à atriz, ajuda Lara a escapar da linha de público, mas elas são avistadas e não demora até a garçonete ser usada como refém para que Lara renda o artefato. Reza a lenda que a Pedra permitia uma sacerdotisa à viajar longas distâncias em um piscar de olhos ao tocar um altar, e esse mesmo altar convenientemente se encontra no museu. Ela rapidamente presume como Edgar planeja escapar desta vez.

Com o auxílio da garçonete, elas chegam até o altar e interrompem a fuga dele, transportando o megalômano (junto com a relíquia) para o "esquecimento" ao invés do destino original e impedindo que ele ressurja. Ao saírem do museu, as duas são cercadas pela mídia que quer saber o que aconteceu. Lara, desconfortável, dirige todos os holofotes para a garçonete, cedendo-lhe os minutos de fama e exposição que sempre quis.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Definitive Edition: trailer de lançamento


Assim que encontrar imagens do novo livro de artes, distribuído como bônus de pré-venda desta versão de Tomb Raider, postarei por aqui. Apesar do lançamento oficial somente ocorrer na próxima terça-feira, algumas lojas quebraram a data – como de costume – e já colocaram os jogos nas prateleiras

O único vídeo de unboxing disponível no YouTube até o momento mostra a edição básica. Entretanto, a única coisa que realmente possa interessar é a nova arte do disco...

Atualizado em 26/01/2014: incontáveis vídeos mostrando a edição limitada surgiram. Dentre todos que assisti, o que melhor mostrou o livro é este aqui. O próprio livro serve como estojo para o disco e, na real, para mim só passou a impressão de "bônus" mesmo. Se conseguir algum por um preço acessível no eBay dentro dos próximos meses ficarei satisfeito, mas nunca será prioridade.

Epifania

Em certos aspectos, Tomb Raider: Epiphany possivelmente é a história em quadrinhos que mais se aproxima das aventuras que experienciamos nos jogos. Também é legal a forma como engloba a família Von Croy.

Em algum lugar no Egito, Lara se infiltra num grupo de guardas que patrulha uma área de excavação. Ela é descoberta, mas ainda assim desce até a pirâmide subterrânea. Não é uma descoberta nova: ela e Von Croy estiveram lá há tempos atrás, e isso traz à Lara más lembranças. Com o local tomado por guardas e trabalhadores, ela novamente se disfarça, esperando que ainda não tenham encontrado o Cetro do Escorpião.

Encontrando uma passagem secreta, o disfarce de Lara Croft novamente cai por terra. Pendurada sobre uma poça de lava, um alvo fácil para os soldados, ela é surpreendida quando um Clayton Kasterman surge e derruba os guardas, salvando-a em seguida. Questionado sobre como o caçador de tesouros chegou até lá, ele mostra um mapa.

Lara imediatamente reconhece o mapa: pertenceu à Von Croy. Ela explica quem ele é, desde a primeira expedição no Camboja até quando tentou matá-la naquele exato local onde estavam. Incerta se pode confiar no rapaz, eles trabalham juntos para vencer uma série de armadilhas.

Ela encontra o Cetro em uma câmara subaquática, mas ao retornar para superfície, ela é abordada por uma figura cercada de guardas. A mulher, após revelar sua identidade – Kyra Von Croy – exige o cetro. Kyra também revela a real identidade do rapaz que seguiu Lara: seu irmão mais novo, Clayton Von Croy.

Lara a engana, entregando o cetro sem sua fonte de energia. Esquivando dos disparos dos guardas, Lara provoca Kyra com o fato de que Werner preferia levar ela do que a própria filha para as expedições. Tomada por raiva, Kyra toma a metralhadora de um soldado e acidentalmente atinge a esfinge, condenando todos que estavam no local.

Mesmo após brigar com ele por ter mentido, Lara escapa com Clayton. De volta ao mundo exterior, ele tenta se desculpar, alegando que pretendia pegar o cetro para impedir que sua irmã usasse o seu poder. Lara simplesmente se afasta, dizendo que nada importa pois ela venceu. Deixado para trás, Clayton simplesmente esclarece que ela venceu "desta vez."

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

O Tesouro de Scarface

A história de Tomb Raider: Scarface's Treasure é bastante simples, além de curta, mas isso não a impediu de ser republicada posteriormente sob o título Witchblade and Tomb Raider. Considerando o número de histórias que as duas compartilharam, parece uma escolha estranha para uma republicação, mas diria que a nova capa justifica uma reaquisição.

De qualquer forma: a história começa com Lara dizendo que fará qualquer coisa para abrir portas para o desconhecido. Por "qualquer coisa," leia-se seduzir Carmine Cavalieri – um figurão do submundo de Chicago – por ter perdido para ele o leilão do chapéu que Al Capone vestia quando foi preso.

Após reaver o chapéu, Lara encontra um mapa dentro do forro. Considerando que a costura original havia sido refeita, Lara assumiu que Carmine já havia feito uma cópia do mapa. Quando os bens de Capone foram tomados, existiam rumores de uma câmara secreta onde ele guardava pertences mais valiosos, e apenas três pessoas sabiam de sua localização. Duas delas haviam morrido no dia antes de sua prisão.

Lara se infiltra num sistema de túneis subterrâneos, desativados após a construção do mais moderno sistema de metrô, e encontra o cofre de Scarface. Como ela havia previsto, Carmine de fato tinha uma cópia do mapa, mas seu interesse era Lara. O "encontro" da noite anterior acabaria ali, com Lara viva ou morta.

Obviamente ela se safa da situação, lidando com Carmine e seus capangas, e então abre o cofre para encontrar os bens mais valiosos de Capone. Para sua decepção, inúmeros barris de cerveja. Pois bem, hora de partir para a próxima aventura.
Você pode ir longe com um sorriso. Mas, você pode ir muito mais longe com um sorriso e uma arma.Al Capone

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Noites Árabes

Outra edição especial com um estilo de arte diferenciado, Tomb Raider: Arabian Nights coloca Lara em uma situação bastante peculiar. Em algum lugar no Iraque, Pérsia para qualquer pessoa que viva à sombra da história, Lara encontra um templo e é sequestrada por um besouro gigante.

Lá dentro, ela conhece a Scheherezade, que havia previsto o dia em que alguém tomaria seu lugar, libertando-a da maldição. Todas as noites, ela deve contar uma história interessante para entreter o demônio Shahryar para continuar viva. Realizando a incumbência com sucesso, ela permanece viva e bela: mil anos depois e ela não envelheceu um dia sequer.

Como Lara não se dispõe a ser a nova contadora de histórias, ela se tornará a próxima história a ser contada. Sugados para dentro de uma lâmpada mágica, as duas viram as protagonistas na nova história de Shahryar. A história existe ao redor delas, nesse mundo tão real quanto o exterior, mas as duas são livres para tomar as ações que desejarem.

Lara, obviamente, não aceita o destino que o demônio tenta impôr. Sob orientação de Scheherezade, ela conhece outro cidadão, vítima do demônio. Ele informa que a única chance de escapar é com a Escritura de Krys, momentos antes do demônio tornar ele e as duas mulheres inimigos públicos.

Numa câmara de tesouro, Lara encontra um pergaminho revelando a localização e a função da Escritura de Krys: um feitiço que pode reverter maldições. Para chegar até o local, entretanto, será necessário um tapete voador (porque estereótipos). Outro cidadão, Ali, poderia fornecer-lhe um, mas, para não se arriscar, manda uma mensagem através de um menino.

O informante menciona que um tapete voador aguarda dentro de uma caverna protegida por uma deusa cobra. Inabalada, Lara adentra a caverna e percebe que a mulher também está sob domínio de uma maldição: após resgatá-la, recebe o tapete como recompensa. Paralelo à isso, o demônio assassina o menino, para revolta de Ali que decide ajudar Lara à qualquer custo para saírem daquele mundo.

Após vencerem uma perseguição de tapetes voadores, Lara chega até a montanha onde estaria a escritura. Enquanto ela e o demônio se enfrentam em um combate corporal – obviamente sem chances de vitória para Lara –, Ali e Scheherezade encontram a escritura. Sem saber o que fazer com ela, arremessam-na para Lara que, rapidamente, recita o feitiço e quebra a maldição, expelindo os três para o mundo real.

Estranhos ao mundo moderno, Lara conforta os libertos dizendo que existe lugar para contadores de histórias, pois a Pérsia não entende o tempo. 

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

"A Lara Definitiva" #sqn

Eu vou ser extremamente honesto aqui e dizer: não gostei. A Lara Croft de Tomb Raider era perfeita. Se as mudanças se resumissem à texturas de maior qualidade e outros efeitos que antes não eram possíveis, tudo estaria muito bem, obrigado. As pequenas remodelações que fizeram no rosto dela, entretanto, me deixam deveras preocupado com a aparência que ela terá no próximo jogo da série...

De qualquer forma, confira o novo vídeo promocional da Definitive Edition, que chegará às prateleiras na próxima terça-feira para PlayStation 4 e Xbox One. 

O Maior Tesouro de Todos

Tomb Raider: The Greatest Treasure of All foi um especial bem esperado, talvez pelo estilo de arte foto realístico. Quase três anos antes de ser lançado, recebeu uma edição especial contendo a primeira metade da história.

Lara e Chase invadem uma floresta dominada por guerrilhas na América Central, em busca do tesouro mais valioso de todos. Chase arrisca diversos palpites para o que poderia ser, imaginando uma vida de luxúria com todo o dinheiro que poderá receber pela aventura. Lara não revela o que eles buscam, apenas diz que é algo melhor que ele consegue imaginar e que ele vai saber quando finalmente o encontrarem.

O avião é atingido por rebeldes. Chase se joga do avião e sobrevive a queda, mas testemunha o avião explodir em uma montanha, assumindo que Lara ainda estava dentro. Ela, obviamente, também sobreviveu e, no tempo em que estiveram separados, preparou uma fogueira para assar seu jantar. O cheiro atraiu um leão e Lara, mantendo a calma, oferece seu jantar para o animal que, para sua surpresa, se revela dócil. Definitivamente criado por um humano, passou a acompanhar Lara desde então.

Eles encontram o templo que buscavam, cercado por inúmeros soldados. Chase diz que não está preparado para guerra, então eles decidem esperar o anoitecer para atacar. Lara manda o leão na frente, com a intenção de afugentar os soldados, mas eles reconhecem a criatura: é Wildfire, animal de estimação do comandante El Tigre.

Quando todos dormem, Lara e Chase invadem o templo e encontram o maior tesouro de todos: Sarah Constantine. Lara havia sido contratada pela Sra. Constantine para localizar o maior tesouro possível – sua filha. Como Lara é capaz de encontrar qualquer coisa no mundo, era a última esperança da senhora em rever a moça que desapareceu ao entrar na área durante uma missão religiosa.
Chase, o que você... o que todos nós deveríamos mais valorizar?
Ao tentarem escapar, El Tigre ordena que Wildfire mate Lara, mas o leão não se mexe. Revoltado, El Tigre eletrocuta o animal pela desobediência. Lara aproveita a brecha para matar os soldados que acompanham o comandante e, quando fica sem munição, salta sobre o próprio para libertar Wildfire da coleira. O leão imediatamente sabe o que fazer.

Chase, ainda inconformado que havia sido enganado por Lara, enlouquece ao saber que a mãe de Sarah é uma professora e não poderá recompensá-los com nada além de cortesia e orações. Lara o beija no rosto, falando para ele considerar o maior tesouro que ele sempre quis: talvez possa finalmente consegui-lo, se continuar fazendo as coisas certas.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Origens de Lara

Assim como a edição especial #0, a #½ também conta com uma história sem título próprio. A chamada de capa, entretanto, menciona que é uma espiadela nas origens de Lara Croft e, de certa forma, é essencialmente aquilo que Origins deveria ter sido.

A história conta com Lara escalando uma montanha gélida em busca de uma coroa, relembrando diferentes situações do passado que a moldaram na aventureira que ela é hoje. Ao ser atacada por outro aventureiro em busca da coroa, a bordo de um avião, ela relembra como costumava ser mimada. Apesar de ser inteligente, Lara só queria saber de moda e festas, portanto não se dedicava na escola e só não era expulsa por conta do dinheiro de seus pais.

Memórias de sua aptidão natural para ginástica e acrobacia também surgem. Compton diz que são dignas de uma atleta olímpica, mas o seu pai afirma que ela não teria interesse em algo tão banal. Sem que seus pais saibam, Lara aprende a manusear armas de fogo com Compton. 

Após derrubar o avião que a perturbava no presente, ela relembra a queda de avião que ela vivenciou. A dor física era insignificante perto da perda das três pessoas mais importantes de sua vida. Ela aprendeu a sobreviver, fazendo coisas que sequer julgava ser capaz. Enquanto buscava abrigo de uma tempestade, ela encontrou um cadáver de um caçador de relíquias que não teve tanta sorte... 

Ao sair de lá, ela sabia que havia mudado, para sempre. A coroa que ela recupera na data presente era do Rei Arthur. Lara a envia como um presente para o professor que a havia reprimido pelos seus trabalhos insatisfatórios sobre o rei, acompanhada de uma carta pedindo desculpas pelo comportamento da época. Agora, história fazia parte da vida dela.

Como um bônus: o noivo de Lara se chamava Roger. A edição também conta com um prólogo em texto para The Drowned Tomb, uma história em quadrinhos de Adam Hughes que seria publicada num futuro, mas que nunca saiu do papel, infelizmente.

domingo, 19 de janeiro de 2014

Anniversary sob alguns filtros do Dolphin

Finalmente instalei o Dolphin em meu computador novo. Apesar de já possuí-lo há seis meses, sequer instalei todos os jogos Tomb Raider ainda. Quando publiquei os guias em vídeo de Anniversary, também pensei em gravar um para as Rubbing Rewards (colecionáveis exclusivos da versão Wii), mas apesar da excelente resolução e contagem de quadros por segundo constante, existem problemas com o som. Quinze meses depois, decidi procrastinar mais.

Enquanto tentava melhorar a performance através de incontáveis ajustes nas configurações, percebi que esta nova versão do emulador vinha munida de uma série de filtros (não lembro de tê-los visto na minha máquina anterior). São de aplicação fácil, com resultados instantâneos e em tempo real. Destaque para o filtro inspirado por Madworld.

Estou postando algumas imagens que capturei com diferentes filtros, mesmo que somente para quebrar o fluxo de postagens dos quadrinhos (encerram dentro de duas semanas, prometo).

Atualizado em 04/02/2014: Acrescentei duas novas imagens e substituí a do filtro "autotoon" por uma mais bonita.

[ * * * ]

Aquila Dourada

Na verdade, a história publicada na edição especial de #0 não possui um título próprio. Ela começa com um estudante que descobriu um caractere novo em runas nórdicas na ilha de Gotland, na Suécia. Ao encontrar e recitar a tradução correta, ele é capturado por uma águia de luz. Seu gravador registra seus últimos momentos.

Por coincidência, Lara chega à uma pousada do local para relaxar antes de partir para o Tibet. Lá, ela encontra Charles Bascom, detetive forense que nunca soube aceitar não como resposta. Ao ouvir a gravação, Lara decide aceitar o trabalho. O pouco que restou da época dos vikings, antes do vilarejo se construir, permaneceu intacto.

Lara decide investigar e concorda com a descoberta do estudante: um dos caracteres havia, de fato, sido traduzido incorretamente. Em determinado momento, tropas romanas estiveram naquele local também. Recitando a pronúncia correta, "Aquil" ao invés de "a kill", uma caverna subterrânea se revela para Lara.

Lá em baixo, ela encontra o corpo do estudante há poucos passos de um anfiteatro. A mesma águia anuncia ser tudo que restou dos povos nórdicos, antes de serem escravizados pelos romanos. A águia testa Lara, fazendo-a lutar para sua diversão – tal qual os romanos fizeram ao seu povo na ocasião.

Dominado o desafio, restando apenas um homem que simboliza a águia, Lara conversa com ele. Ela promete retirar a maldição criada ao enterrar a águia dourada em despeito às legiões romanas, que passou a atingir pessoas que bisbilhotam o local.

Três dias depois, Charles localiza Lara, reconhecendo o artefato em suas mãos e certo de que a sua descoberta vai atrair pessoas interessadas, de todas as classes e formações, até o local. Lara não é uma traficante de artefatos, portanto, após ouvir todas as propostas pelo artefato, pede para o ferreiro local fundir o ouro do mesmo.

Á águia dourada teria sido criada a partir de ídolos religiosos dos povos nativos, roubados após terem seus altares destruídos pelos legionários romanos. Por este motivo, aquela águia em particular estava amaldiçoada, devendo ser devolvida ao seu lugar de origem.

Quando parte do local, sem ter tido o descanso que procurava, Lara fala que alguém teria que fazer o serviço. Se não fosse ela, talvez aquele homem que ela encontrou certa vez no Cairo: americano, com chicote e fedora, e que aparentava não envelhecer – embora seu medo irracional de cobras poderia ser um empecilho...

sábado, 18 de janeiro de 2014

Deparada

Tripped Up é o título da mini-história (apenas 10 páginas) publicada na edição especial Tomb Raider: Origins. Ao contrário do que você provavelmente teria esperado, não se trata da primeira expedição de Lara Croft ou qualquer outra forma de história de origem, mas, sim, de uma aventura que ocorreu antes de Medusa Mask.

Lara e Chase Carver estão no Camboja em busca do Ídolo de Lu Vinh. Chase, como de costume, vive lançado cantadas para Lara, que costuma reprimir imediatamente. Quando encontram o tesouro, em um pilar no centro de um buraco gigantesco, Lara confia em Chase para se balançar com uma corda e chegar até a relíquia.

Chase questiona a confiança de Lara nele. Ela aproveita as deixas dele nesse momento, alegando ser justamente o maior tesouro que ele deseja possuir. Escalando o pilar central com pequenas garras nas luvas (ria), Lara encontra um ídolo. Alegando estar fácil demais, ela o descarta e então encontra o verdadeiro ídolo, escondido em plena visão.

Nesse momento, o buraco cercando o pilar é tomado por labaredas e um demônio surge para punir Lara por profanar o templo. Lara e Chase fogem e ela agradece a presença dele, que permitiu-lhe encontrar o verdadeiro ídolo. Chase pede uma parcela maior da recompensa e Lara concede; mas quando pede um trato especial e, talvez, romântico, Lara novamente o reprime. "Sem chance."

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Listão Top Cow: Tomb Raider, parte 1

Terminada a primeira etapa da releitura das histórias em quadrinhos de Tomb Raider publicadas pela editora Top Cow, julguei que seria interessante compilar uma listagem. 

A ideia original era montar uma única tabela cobrindo todos os quadrinhos, mas optei por separar em duas partes visando ordem e melhor apresentação. A primeira segue abaixo e conta com as 50 edições regulares, enquanto a segunda deve surgir dentro das próximas semanas.
http://thetreeble.blogspot.com.br/2014/01/listao-top-cow-tomb-raider-parte-1.html

Alfa Ômega

Alpha Omega, publicada na edição #50, marca o fim dos quadrinhos regulares de Tomb Raider pela Top Cow. É uma história bastante extravagante, que acontece em um futuro distante, durante a última exposição do Museu Croft.

O museu foi aberto em 2020 como homenagem à aventureira que serviria de inspiração para livros, videogames, quadrinhos e romances neuroimersivos pelos 500 anos seguintes, no mínimo. Guiados por uma projeção digital inspirada pelo videogame, chamada de Polly Gon, diversos artefatos e suas respectivas histórias de recuperação são compartilhadas.

O museu está sendo fechado pela Aliança Global, cuja nova lei impõe que todos os artefatos sejam devolvidos aos seus países de origem. Mesmo que os artefatos sejam levados, Polly Gon lembra aos visitantes que aquelas memórias serão para sempre suas, desde que sejam valorizadas.

Ao término da exposição, um grupo de ladrões invade o museu. Nada mais irônico que invadirem a tumba de Lara Croft. Um dos ladrões, Slate, é descendente da aventureira, e, portanto, sabe de histórias que nunca chegaram até o público. Ele estava lá em busca do maior tesouro dela: o Astrolábio de Sinbad.

Caminhando entre os artefatos secretos do museu, uma integrante da equipe é imediatamente atraída por um jarro contendo água da Fonte da Juventude. Ela narra para os comparsas como Lara descobriu a fonte, para supresa de Slate, que sequer conhecia a história. É nesse momento que ela retira a máscara e revela ser, ninguém menos, que a própria Lara Croft.

Lara não só encontrou a Fonte da Juventude; ela também bebeu dela. 

Slate questiona os motivos para ela se infiltrar na equipe dele. Ela elenca os motivos: primeiro, para verificar se existia Croft no garoto – e ficou orgulhosa ao saber que sim –; segundo, pois alguns daqueles tesouros não podem cair em mãos erradas e; terceiro, pelo mesmo motivo que ela sempre o fez e continuará o fazendo: porque é divertido.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Vendeta

A edição #49, Vendetta, finalmente amarra algumas pontas que ficaram soltas nas últimas edições. Especificamente, a vingança de Aulgood (de Spirit Walker), contando com o apoio de Lady Jasmine (The Black Legion). Interessante ressaltar que a história se passa no Brasil.

Lara recebeu um e-mail de Kurtis Trent contendo a localização de um templo asteca no meio da Amazônia, e ele estaria aguardando sua ajuda para explorá-lo. Ela não duvidava das capacidades de Kurtis, mas só acreditou quando finalmente viu o templo com os próprios olhos. Entretanto, logo na entrada ela sentiu que algo não estava certo ali: um templo tão antigo certamente contaria com superfícies cobertas de musgo.

Uma câmera logo acima de sua cabeça revela que era tudo uma armadilha. Aulgood, já estabelecido como um dos homens mais ricos do mundo, havia construído a isca perfeita para vingar-se de Lara Croft – o nome de Kurtis foi meramente um dos resultados de contatos recentes de Lara. 

Após desarmar a aventureira, Aulgood oferece-lhe duas escolhas: a dama ou o tigre. Lara trapaceia, abrindo a porta do tigre e o atraindo para dentro da sala da dama. Para não virarem comida para o tigre, as duas trabalham juntas para nocautear o animal com golpes físicos – mas a aliança dura pouco. Jasmine diz ter salvo Lara para matá-la pessoalmente.

Aulgood, insatisfeito com o rumo que as coisas estão tomando, decide matar as duas de uma só vez, liberando gás no templo. Jasmine, traída, possuia acesso livre à todas as áreas e leva Lara diretamente para a sala de Aulgood. Com uma metralhadora giratória acoplada à sua cadeira de rodas, Aulgood acaba explodindo uma saída do templo por onde as garotas rolam até atingir o chão. 

Para azar de Aulgood, cujo estoque de munição está completamente zerado, o tigre também encontra um caminho até a sala de controle... Ouvindo os gritos de Aulgood, Lara e Jasmine se trocam cumprimentos pelo trabalho em equipe. Jasmine, previsivelmente, tenta apunhalar Lara pelas costas, mas é derrotada uma última vez.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Tempestade em Formação

Apesar de ter ocorrido integralmente nas páginas de Tomb Raider (edições #46 à #48), Gathering Storm é uma história crossover que permite o encontro de Lara Croft com Magdalena. Ela gira em torno da Rapture, um artefato que permitiria a seu portador viajar para outras dimensões, inclusive o inferno. Um amuleto arcano, visto como uma versão sombria do Santo Graal. 

Sara Pezzini pede para que Lara pesquise o que conseguir sobre o artefato, pois ele pode estar ligado à um crime recente em sua jurisdição. Lara se dirige à um museu católico onde um velho se recusa a ajudar, mas aparenta saber sobre o mesmo. Após sair do museu, Carlos Delarch – um traficante de armas na lista dos mais procurados da Interpol há 20 anos –, acompanhado de duas assassinas, entram no prédio e assassinam o curador e os seguranças. De lá, roubam um antigo livro, escrito por um monge que supostamente teria visitado o inferno no século XV.

Quando a cúpula do Vaticano toma conhecimento do furto, eles debatem dizendo que o livro deveria ter sido destruído há muito tempo, já que não pode existir em terras santas. Eles enviam o seu maior agente, a Magdalena, para impedir o perpetrador – que eles assumem ser Lara Croft.

No primeiro encontro, a Magdalena diz que sabe quem Lara é e o que ela quer. Apesar de ter ordens explícitas, ela usa a Lança do Destino para verificar o coração de Lara antes de falhar em sua missão. Não vendo mal algum lá dentro, além de uma briga para se manter no caminho correto, a Magdalena chora porque deve cumprir suas ordens: ela acredita no que Lara diz.

Já no segundo encontro, Lara derrota Magdalena. Porém, antes de cair de um precípicio ela é resgatada por Lara, para sua confusão. O seu mentor, com um rifle num helicóptero, anuncia que tem Lara no alvo, mas Magdalena retribui o favor derrubando o helicóptero. Incerta do seu próprio futuro, ela decide trabalhar com Lara e, por ter dado às costas à igreja, o Vaticano se prepara para caçar as duas com um esquadrão de elite.

Passando mais tempo juntas, elas podem se conhecer melhor. A "Magdalena" é uma linhagem de mulheres descendentes do sangue real. Patience, assim como todas as que vieram nos últimos 2000 anos, porta a Lança do Destino e assumiu o papel da Magdalena: guerreira e protetora da igreja.

A lança revela a localização de Delarch, prestes à encontrar a Rapture. Antes que elas possam entrar no prédio, são surpreendidas pelo esquadrão da igreja. O ritual que Delarch está realizando desperta uma energia negra que tenta possuir a Magdalena, que, involuntariamente, dizima o esquadrão de elite. Ela instantaneamente sabe que Delarch deve ser impedido à qualquer custo. Chegando até o vilão momentos antes de ele tocar a Rapture, Magdalena arremessa a lança do destino, prendendo o livro arcano contra seu corpo e banindo os dois da existência. 

Sem saber o que acontecerá com elas a partir daquele momento, Lara e Magdalena partem como amigas, apesar de terem se conhecido como adversárias.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Novo lote de quadrinhos recebido

Preview #25 #49 #50
WB#58 WB#59 WB#60 EVO#01 WB#61

Complementando as constantes postagens sobre as histórias em quadrinhos de Tomb Raider, recebi este lote na semana passada. Já mencionei anteriormente que a quantidade de capas alternativas torna essa uma coleção particularmente trabalhosa, mas, de pouco em pouco, espero chegar lá.

Meu principal foco nas escolhas deste lote, notavelmente, foi o arco Endgame. Para quem não sabe, Lara Croft morre nesta história. Ela foi publicada não somente nas páginas de TR, mas também em Witchblade e na única edição de EVO, outras publicações da mesma editora. De quebra, aproveitei e comprei outras edições de Witchblade, contendo prólogo e epílogo para a história.

Eu nunca soube o teor da Preview Edition, mas agora que possuo uma posso dizer. Contém as primeiras 7 páginas de The Medusa Mask. O texto é levemente diferente, narrado completamente por Lara Croft ao invés de Compton, e as artes são esboços em preto e branco. Uma curiosa adição à coleção.

A capa da edição #49 é nada menos que sensacional, e tenho dito.