quinta-feira, 19 de julho de 2018

Weta Workshop revela itens de colecionador

As primeiras novidades diretas da San Diego Comic Con (SDCC) foram divulgadas hoje pela manhã: o estúdio neozelandês Weta Workshop produzirá itens de colecionador inspirados em Shadow of the Tomb Raider.

Duas réplicas, uma do arco e uma do colar de Lara, já estão em pré-venda no site do fabricante, mas suspeito que o real interesse da maior parte dos colecionadores (bem, daqueles com tamanho poder aquisitivo) recairá sobre a estatueta sendo exibida na convenção.

A julgar pelos valores das réplicas e de produtos similares no catálogo, a estatueta se enquadrará na mesma classe que as figuras Premium. Naturalmente, todas as peças estarão sujeitas à tiragens limitadas, o que deve elevar ainda mais seus valores em portais de leilão.

domingo, 15 de julho de 2018

Powerz


Dentre as poucas faixas comerciais presentes em A Origem, Powerz, do rapper inglês Avelino, é provavelmente a minha preferida. Este remix de Junkie XL, que também compôs a trilha orquestrada do filme, traz consigo uma forte lembrança das músicas eletrônicas dos anos 90.

A faixa complementa a "caça à raposa", quando Lara desafia os demais ciclistas-mensageiros de seu trabalho — uma das cenas mais divertidas do filme, eu diria, e que mostra uma Lara determinada e destemida, muito antes de sua provação no Mar do Diabo.

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Escute amostras da trilha sonora de Shadow


A Eidos Montréal atualizou o portal oficial de Tomb Raider, destacando os artistas por trás da trilha sonora de Shadow of the Tomb Raider. O diretor de áudio, Rob Bridgett, afirma que a trilha manterá uma fidelidade aos recursos sonoros que contribuíram para o sucesso da franquia nos últimos cinco anos, mas que a música seguirá a tonalidade sombria e perigosa imposta pelo jogo.

Brian D'Oliveira assume o papel de compositor principal. Fundador do estúdio La Hacienda Creative, Brian possui é especialista em música sul-americana e possui uma vasta coleção de instrumentos nativos, bem como o entendimento de como e porquê cada instrumento seria usado. Isso lhe permite agregar uma textura única, e, ainda assim, autêntica ao jogo.

Complementando a equipe, Martin Stig Andersen, que trabalhou no fantástico Limbo, é o designer de músicas-ambiente, com um foco maior nas cenas subaquáticas.

Além do vídeo acima, que mostra os bastidores da criação da faixa usada no trailer de anúncio, The End of the Beginning, o estúdio compartilhou quatro faixas na íntegra. Aliás, estas faixas talvez não façam parte da trilha sonora inclusa nas edições especiais do jogo, mas talvez seja cedo para considerá-las como um bônus.

domingo, 8 de julho de 2018

Screenshots de Back to Basics: Space

Apesar da pequena quantidade de níveis participantes neste ano, Back to Basics: Space traz consigo uma atmosfera única, com o perdão do trocadilho. Além de simples naves e estações espaciais, os autores também construíram uma série de planetas diferentes — em ao menos um dos níveis, você visita diversos planetas graças a uma engenhosa criatividade.

Minhas estatísticas finais contabilizam pouco mais que 9 horas de jogo. A seguir, apresento uma série de quase 60 imagens dos níveis produzidas nessa jornada. Caso despertem seu interesse, basta visitar o portal trle.net para fazer o download gratuito.

[ * * * ]
Hope of Meridian
Hope of Meridian
Hope of Meridian
Hope of Meridian
Hope of Meridian
Hope of Meridian
Hope of Meridian
Hope of Meridian
Hope of Meridian

sábado, 7 de julho de 2018

Coleção: Steelbooks dos filmes de Jolie em 4K

Esta é da série de aquisições que algum dia talvez eu possa aproveitar. Os dois filmes Tomb Raider protagonizados por Angelina Jolie receberam remasterizações em Ultra HD para dispositivos compatíveis — ainda não existentes no Brasil, até onde eu sei.

Esses relançamentos, com as novas artes "estilizadas", parecem tentar pegar carona no recente filme de Alicia Vikander, mas na verdade fazem parte de uma coleção em andamento da Paramount, que você pode conferir no fórum do portal Blu-ray.com.

Junto às versões em 4K, os dois filmes também retornaram às prateleiras americanas em Blu-ray usando essa mesma arte. O meu interesse em adquirir os filmes 4K nesse momento era garantir as versões em steelbook, cujos valores têm escalado rapidamente no eBay.

Uma citação de Lara Croft é usada no verso de cada estojo (curiosamente, a de LCTR é de uma cena vista em um trailer e que não chegou à edição final do filme):
  • This is where I start to have fun.
  • I'm not leaving because I couldn't kill you. I'm leaving because I could.

Minifigura de Shadow produzida pela Bighead

Completando essa série de minifiguras artesanais produzidas sob encomenda pela loja Bighead, eis a peça de Shadow of the Tomb Raider. Apesar de levemente mais alta que as peças de TR2013 e Rise (cerca de 1cm maior), o minúsculo trio é uma adorável representação da progressão de LC.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Vídeos para lançamento de A Origem em DVD



Faltando exatamente uma semana para o lançamento nacional de Tomb Raider: A Origem em DVD e Blu-Ray, a Warner Bros. postou em seu canal oficial no YouTube dois breves vídeos contendo cenas e opiniões do filme. 

Curiosamente, um destes vídeos reapresenta a cena de Lara retornando à Mansão Croft de moto — nos cinemas, ela dirigia outro veículo. O uso da faixa Survivor, ao invés de Run for Your Life, me faz pensar que apenas reciclaram material antigo aqui, então não vamos criar falsas esperanças.

De qualquer forma, estou ansioso para exibições diárias do filme em chez Treeble.

domingo, 1 de julho de 2018

Curiosidade: Lara Croft em Project M Ex

Uma rápida visita ao meu canal no YouTube não deixa dúvidas: sou fã absoluto da consagrada série Super Smash Bros. A série sempre foi vista como uma fantástica fusão de personagens do universo Nintendo, mas, com o passar dos anos, abriu suas portas para outras desenvolvedoras.

Como fã vitalício de Tomb Raider, sempre desejei que Lara Croft encontrasse um espaço ali — e o mais recente jogo da série até conta com um certo personagem da Square Enix —, mas apesar do histórico registrar mais de 50 personagens diferentes, apenas um deles não é de origem japonesa.

Nossa aventureira possui mais aparições em plataformas Nintendo do que alguns desses personagens (em tempo: três jogos originais e seis ports diferentes da trilogia Legend), mas acredito que um fator mais relevante, em particular para personagens de terceiros, seria sua popularidade na terra do sol nascente. Acredito piamente no status de Lara Croft como um ícone, mas admito que suas chances de entrar no páreo são praticamente nulas.

E eis que a comunidade de modders entra em ação. Project M Ex, uma das muitas versões caseiras do jogo, traz em seu roster uma Lara Croft. Inspirada no visual de TRL, é mais do que uma simples skin, possuindo movimentos e ataques únicos. O conteúdo não é perfeito e é suscetível a certos glitches, mas é absolutamente impressionante.

Para minha tristeza, porém, ela não é exatamente competitiva. Seus ataques causam danos múltiplos e rapidamente elevam o percentual de inimigos, mas faltam golpes finalizadores. A seguir, um vídeo demonstrativo repleto de Crofts — preste especial atenção ao Final Smash. Sensacional.

Variantes do traje Legend em Project M Ex

Complementando a postagem anterior com o tipo de conteúdo que só eu consideraria relevante, a Lara Croft de Project M Ex possui cinco cores diferentes. Além do traje padrão de Legend e sua versão Black, PMEX nos oferece três variantes novas.

Por coincidência ou não, a de cor vermelha já existia de certa forma: a editora Atlas a "inventou" para um dos últimos fascículos da coleção. Reconheço minhas limitações, mas tentei imitar essas cores alternativas em mods para TRL por motivos.

sábado, 23 de junho de 2018

Palestra sobre a criação narrativa de Rise


Durante a Game Developers Conference (GDC) de 2016, os responsáveis pela história e narrativa e de Rise of the Tomb Raider apresentaram um painel de discussão no qual detalham todo o processo criativo por trás da história.

No mesmo ano, uma palestra sobre Lara Croft Go havia sido apresentada, mas apenas recentemente a gravação de Rise foi liberada para o público geral. No decorrer de uma hora, Cameron Suey, Noah Hughes, Rhianna Pratchett, John Stafford, Jeff Adams, e Tore Blystad falam sobre a concepção, inspirações e até mesmo as diversas mudanças que o roteiro sofreu conforme se moldava no produto final.

O vídeo é especialmente recomendado para quem aprecia este aspecto dos jogos, mas um domínio do idioma inglês é necessário. Algumas curiosidades são reveladas, como, por exemplo, a inclusão tardia das fitas de Richard Croft; a forma como a pesquisa sobre locais e mitos (no caso, Kitezh e o profeta Koschei) gerou toda a narrativa secundária, vista em documentos e colecionáveis; como o exército de Atánatos que simplesmente deixou de existir em registros foi transposto para a cidade oculta; entre outras.

De maior interesse, porém, é a abertura original do jogo. Como o trailer de anúncio havia sugerido, Lara estava lidando com estresse pós-traumático e os storyboards exibidos mostram ela em um metrô, despertando de um pesadelo sobre Himiko, exausta e com ofegante. Ela então desembarca e, paranoica, acredita que está sendo perseguida, até que percebe o estado em que se encontra.

Essa abertura passou por 47 revisões, sofrendo alterações e cortes até chegar em sua edição final. Você pode ver uma versão animada dos esboços a partir da marca de 39:00 no vídeo. Rhianna salienta que esse conceito era bom demais para ser desperdiçado, e, portanto, reaproveitou partes dele em suas histórias em quadrinhos — para ser mais preciso, na edição #18.