domingo, 5 de abril de 2020

Jogos não-eletrônicos

5. Tomb Raider saltou das telas para as mesas. Você já jogou algum dos jogos de cards ou de tabuleiro? Se sim, o que achou?

Anos (ou melhor, décadas) atrás, jogava com frequência o Tomb Raider CCG, e ainda hoje digo que é uma ótima adaptação. Até mesmo fiz um esforço para tentar revitalizar interesse pelo mesmo através do blog, mas novamente ficou em segundo plano por conta de outros projetos paralelos. Além desses artigos, eu pretendia comprar os decks iniciais para voltar a jogar (evitando, assim, usar os da coleção), mas o dólar começou a escalar cada vez mais e desencanei dessa ideia. No futuro, talvez.
 
Quanto aos demais jogos de tabuleiro, tenho os três mas nunca tive a oportunidade de jogá-los.

sábado, 4 de abril de 2020

Maratonando Tomb Raider

4. Você já fez uma maratona de Tomb Raider? Se sim, quais jogos (e títulos em outras mídias) você incluiu em sua maratona mais recente?

Essa resposta meio que continua a de ontem. Como eu disse, costumava rejogar todos os jogos da série em sequência, todos os anos, até o lançamento de Rise of the Tomb Raider. Desde então, a última maratona que fiz foi no ano passado, e demorei oito meses para completá-la, passando por todos os jogos da série principal e seus respectivos pacotes de expansão; Guardian of Light, Temple of Osiris e Go; e ainda encaixei no caminho os jogos em Java para falar sobre eles aqui no blog.

No ano anterior eu havia feito uma mini-maratona apenas dos jogos portáteis, também com o intuito de escrever sobre os mesmos. E, por fim, uma vez a cada três ou quatro meses eu reservo um final de semana para assistir aos três filmes. Com tantas outras coisas para jogar e assistir, admito que é estranho dedicar tanto tempo para repetir experiências assim, mas esse é o tipo de fanboy que sou.

sexta-feira, 3 de abril de 2020

Frequência de repetição

3. Com que frequência você revisita os jogos oficiais? Qual o jogo que você acredita ter repetido mais vezes?

Até 2015, antes do lançamento de Rise of the Tomb Raider para ser mais exato, eu procurava rejogar toda a série principal e seus pacotes de expansão ao menos uma vez por ano, mas essa tarefa estava se tornando trabalhosa demais. Hoje em dia, tenho colocado meu foco em desbravar cada vez mais aventuras inéditas construídos com o Level Editor, mas ainda encaixo uma ou outra partida completa de um dos jogos (principalmente os da trilogia Legend) aqui ou ali...

Quanto ao jogo que eu mais joguei, existem três possibilidades. Quando ganhei minha cópia de Tomb Raider Gold, lá em 1998, eu chegava a repetir o jogo e a expansão até três vezes por semana, então com o passar dos anos certamente acumulei muito mais de 100 partidas completas do jogo. Aí temos TRL, que por conta de sua breve duração também me via rejogando com muita frequência alguns anos atrás. E, por fim, Temple of Osiris, que também repeti incansavelmente no seu primeiro ano devido ao seu modo cooperativo online e suas fases rápidas mas divertidas.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Ajeitando seu jogo menos favorito

2. Agora, no extremo oposto, como você mudaria o seu jogo menos favorito para deixá-lo mais de acordo com seu gosto?

Revisitando postagens antigas, citei que Angel of Darkness deixou de ser meu jogo menos favorito e cedeu esse lugar ingrato para Chronicles. "Corrigir os diversos bugs nas últimas fases" fica subentendido, mas acho que ainda não seria o suficiente para melhorar o jogo para mim.

A primeira coisa que eu faria seria remover completamente a existência da Lara jovem. A expedição na ilha irlandesa é bastante atmosférica, então procuraria mantê-la e adaptá-la de forma a permitir que Lara pudesse usar suas armas. Os inimigos, em sua maior parte sobrenaturais, poderiam ser imortais e retornar momentos depois, se o propósito era fazer com o que o jogador se sentisse indefeso.

Também sinto que todas expedições são muito curtas, então acrescentaria um quinto episódio. O final do jogo deixa subentendido que Lara sobreviveu sozinha ao colapso da pirâmide no final de The Last Revelation; acho que seria muito melhor se tivessem explorado essa escapatória em forma jogável, como um capítulo bônus destravado ao terminar o jogo. Ali, sim, poderíamos ter uma Lara desarmada e levemente debilitada, o que poderia até eliminar a necessidade dessa "característica" da aventureira no início de AOD.

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Jogo favorito da série

Aproveitando esse momento de quarentenas obrigatórias e distanciamento social, e enquanto estamos no aguardo de notícias oficiais sobre o futuro da franquia, vamos tentar engajar a comunidade a relembrar e compartilhar suas experiências com a franquia através de um novo "desafio de 30 dias". O último aconteceu em 2013, e muita coisa aconteceu de lá para cá...

No decorrer de abril, seguindo um cronograma fixo, uma nova pergunta será postada no Twitter todos os dias, mas você pode responder como e onde preferir. Como o blog Raider Daze é baseado em um cunho pessoal, as minhas respostas serão mais detalhadas por aqui.

[ * * * ]
 
1. Uma boa quantidade de jogos foi lançada desde o último destes desafios, então a primeira pergunta volta aos básicos: Qual seu jogo favorito na série e por quê? O seu jogo favorito já foi outro, por algum motivo ou outro?

Hoje, eu diria que o Atlantean Scion original voltou a ser o meu jogo favorito, mas Legend nunca está longe. Acho que, em ambos os casos, a primeira impressão ainda prevalece. Meu primeiro contato com a franquia foi Dagger of Xian, mas TR1 foi o primeiro que completei e a partir do qual me apaixonei pela franquia. A experiência era muito imersiva, e a combinação de descoberta e aventura era mágica.

Todos sabemos como a história se desenrolou, e eu ainda acompanhava religiosamente as notícias após a troca de estúdios, mas, como meu computador na época sequer rodava Angel of Darkness (e eu tinha um GameCube), estava meio desamparado. Foi, então, que joguei Legend pela primeira vez no PlayStation 2 de meu irmão cerca de dois ou três meses após seu lançamento. Honestamente, despertou em mim exatamente a mesma sensação que TR1 tinha feito lá em 1998. 

Então, sim, meu título favorito já mudou com o passar dos tempos, mas sempre alternando entre estes dois.

sexta-feira, 27 de março de 2020

Editora Europa revela Coleção Hall da Fama

A Editora Europa revelou uma nova coleção de livretos intitulada "Hall da Fama - Personagens". A primeira leva possuirá oito volumes, conforme relacionados a seguir, e cada um dos livretos de 48 páginas trará curiosidades, histórias de origem, melhores momentos, e informações gerais sobre os protagonistas de de grandes sagas dos videogames.

A coleção contemplará os seguintes personagens:
  • Geralt de Rivia (The Witcher)
  • Jill Valentine (Resident Evil)
  • Kratos (God of War)
  • Lara Croft (Tomb Raider)
  • Master Chief (Halo)
  • Samus Aran (Metroid)
  • Scorpion (Mortal Kombat)
  • Sonic (Sonic The Hedgehog)
Um novo volume deve ser lançado a cada três meses, com o primeiro chegando agora em maio. Relevante para nós, o de Lara Croft está previsto para fevereiro do ano que vem.

Em nota paralela, a editora espanhola Héroes de Papel anunciou recentemente o livro La Última Exploradora, com lançamento previsto para junho deste ano. Não há previsão para publicação em outros idiomas, mas isso nunca foi um empecilho, não é verdade?

Lara Croft Go gratuito por tempo limitado

A Square Enix Montréal está distribuindo gratuitamente o excelente Lara Croft Go, para as plataformas Android e iPhone, como incentivo extra à campanha anti-contágio "fique em casa e jogue". Acesse a loja digital através de seu dispositivo para fazer o download gratuito, mas seja rápido pois a oferta é válida somente até a próxima quinta-feira, dia 2 de abril.

quarta-feira, 25 de março de 2020

Vanessa Demouy

Vanessa Demouy
Nascida em 5 de abril de 1973, em Montreuil, França.
Tinha 24 anos quando vestiu o traje.

Apesar de não ser uma modelo contratada oficialmente pela Eidos, Vanessa atingiu praticamente o mesmo patamar de popularidade após um único ensaio ordenado e publicado pela revista francesa VSD Jeux Passion no final de 1997, às vesperas do lançamento de Dagger of Xian.

Vanessa possui diversos trabalhos como atriz em seu portfólio, mas, aparentemente, todos papeis são limitados a produções francesas. Quando a revista entrou em circulação, já se especulava um possível filme da aventureira para os anos seguintes, e supostamente ela teria manifestado interesse no papel mas sob a condição de que o longa fosse dirigido por nomes como Tarantino ou John Woo.

As poucas imagens deste ensaio disponíveis na internet podem ser conferidas no site Core Design Tribute. Por conta da limitação territorial, imagino que a revista seja uma raridade que poucos colecionadores adquiriram, e é uma lástima que digitalizações melhores nunca tenham surgido desde então.

sexta-feira, 20 de março de 2020

TR2013 e LCTOO gratuitos por tempo limitado

Perante a situação atual, onde diversos países já estão sob quarentena obrigatória por conta da pandemia global de COVID-19, a Square Enix está oferecendo os jogos Tomb Raider (2013) e Temple of Osiris gratuitamente para Steam na campanha "fique em casa e jogue".

Os jogos serão seus para sempre, uma vez que estiverem em sua conta, mas seja rápido pois a promoção é válida somente até segunda-feira, dia 23. É possível resgatar códigos para os jogos através da loja online da Square Enix, mas você também pode obtê-los diretamente através da Steam.

segunda-feira, 9 de março de 2020

Cores de Lara Croft em Brawlhalla

[Atualizado em 17/03/2020:] Adicionada a cor limitada "Lucky Clover".